A fibrobroncoscopia, ou simplesmente broncoscopia, é um exame parecido com a endoscopia digestiva alta, frequentemente indicada na pesquisa de doenças do estômago.

Porém, na broncoscopia o aparelho penetra pelas vias aéreas, ou seja, vai pela traqueia até os brônquios. À semelhança do que acontece com a endoscopia digestiva, a broncoscopia costuma ser realizada em centros de endoscopia, com o paciente sob o efeito de sedativos. Entretanto, dependendo da situação do doente, ou por opção do serviço médico, o exame poderá ser feito em centro cirúrgico, com o paciente completamente anestesiado e entubado.

Além de visualizar o aspecto das vias aéreas, o médico que faz o exame costuma usar uma pinça comprida, que progride dentro do broncoscópio até as porções mais periféricas do pulmão, para fazer biópsias. Essas biópsias são chamadas transbrônquicas e conseguem pegar pedacinhos de pulmão para posterior análise microscópica.

Além das biópsias transbrônquicas, a broncoscopia também permite colher outro tipo de material chamado lavado broncoalveolar. Nesse caso, um volume de soro é injetado pelo broncoscópio e logo em seguida aspirado. O liquido recuperado traz células e produtos da inflamação pulmonar que são analisados em exames microscópios e de bioquímica.

A broncoscopia não é útil em boa parte dos casos de fibrose pulmonar e, por isso, nem sempre é indicada pelo médico pneumologista. Isso acontece porque os fragmentos de pulmão obtidos costumam ser de tamanho muito pequeno para dar informações diagnósticas relevantes. Contudo, as biópsias transbrônquicas e o lavado broncoalveolar podem ser de muita utilidade diagnóstica em algumas situações especiais como, por exemplo, na suspeita de sarcoidose, pneumonites de hipersensibilidade ou doenças causadas pela inalação de poeira de sílica. As broncoscopias também podem ser indicadas pelo médico na suspeita de quadros de infecção pulmonar, os quais às vezes se instalam ao longo da evolução da doença.

Mais recentemente, foi desenvolvido na Alemanha um tipo diferente de biópsia por broncoscopia chamada criobiópsia. Nesse método uma pinça especial promove o congelamento de áreas substanciais de pulmão, possibilitando a obtenção de fragmentos bem maiores do que os da biópsia transbrônquica. Ainda está em estudo a real utilidade das criobiópsias no diagnóstico das doenças fibrosantes pulmonares. Além disso, são muito poucos os centros médicos brasileiros que dispõem desse tipo de equipamento.

Por tudo isso, a biópsia pulmonar cirúrgica ainda é considerada o exame mais fidedigno para o diagnóstico preciso dos quadros de fibrose pulmonar.